Pular para o conteúdo principal

Postagens

CASAMENTO NO ARRAIÁ

De: MARCONDYS FRANÇA
SOCORRO (MÃE)
IDELFONSO (PAI)
MARIA BADALO (FILHA)
BOCA DE BURRO (JAGUNÇO)
ZÉ PINGA (NOIVO)
VIGÁRIO ATO ÚNICO
SOCORRO: - Desgraçada... Desgraçada! Minha filha, mais falada que tudo nessa vida! Ai de mim!
IDELFONSO: - Se eu pego esse condenado... Eu capo esse cabra safado!
MARIA BADALO: - Mainha...
SOCORRO: - Calada!
MARIA BADALO: - Painho...
IDELFONSO: - Calada!
MARIA BADALO: - Eu...
OS DOIS: - Calada estrupício!
IDELFONSO: - Vamos realizar logo este casamento antes que eu cometa uma loucura.
SOCORRO: - O vigário já vem se chegano...
IDELFONSO: - Que chegue logo. Que já tô sem paciência.
MARIA BADALO: - Mais...
SOCORRO: - E ocê se assossegue!
Postagens recentes

CAIXA DE BRINQUEDOS

De: Marcondys França
PERSONAGENS: BONECA DE PANO SOLDADO URSO DE PELÚCIA PALHAÇO BALHARINA DUENDE BENTO (MENINO POBRE QUE NUNCA TEVE UM BRINQUEDO) CARINA (MENINAS ESNOBE DONA DOS BRIQUEDOS) VELHO ZIMBÁ (ARTESÃO QUE TEM UMA OFICINA QUE CONSERTA BRINQUEDOS)
CENA I
(NUM COMODO DA CASA HÁ UMA CAIXA CHEIA DE BRINQUEDOS QUEBRADOS E AO SEU REDOR OUTROS QUE COMO NUM PASSE DE MÁGICA GANHAM VIDA) CARINA:  - Pode entrar.
BENTO:  - Então é aqui?
CARINA:  - Sim. É aqui mesmo.
BENTO:  - Nossa! Quantos brinquedos!
CARINA:  - Não disse que era bastante!? BENTO:  - Tem certeza que quer mesmo jogá-los fora? CARINA:  - Claro. De que me servem esses brinquedos velhos?